25.2.12

OUTRORA X AGORA

Já houve um tempo
Que o corpo era atlético
A disposição interminável
A vontade arrebatadora
A curiosidade imensa
A criatividade gigantesca

Já houve um tempo
Que a ignorância era tamanha
A experiência pequena
O medo enorme
A imaginação falha

Ah! Mas há o tempo
Num corpo pesado
A disposição fraca
Vontade nenhuma
A curiosidade dirigida
A criatividade sólida

Ah! Só o tempo traz
A consciência da ignorância
A experiência adquirida
Medo nenhum
A imaginação farta

É pena que não possamos juntar
O corpo e a vitalidade do ontem
Com a  ciência do hoje.

Rubens Prata