10.3.11

“Perdoe-me se não podes me conhecer. Nem mesmo eu me conheço.”
R. Prata