29.3.11

Trago dentro de mim
Um montão de histórias para contar
Das viagens que pensei em fazer
Das aventuras que não realizei
Das paisagens que observei
Da janela do meu ateliê
Das lutas que não lutei
Das mulheres que não amei
Dos livros que nunca li.

Traga dentro de mim
Um montão de histórias
E, por mais que já as tenha contado
Nunca terão fim
E embora sempre novas
Serão sempre só pedaços de mim.
R. Prata