17.2.16

LOUCO DILEMA DE VIDA

Com 67 anos, consciente da existência se afunilando, minha alma ficará insatisfeita  desencarnada, sem libertar toda a possível arte aprisionada em mim.
Reconheço e executo esse meu darma com plena dedicação apesar do tempo curto rememorando o dilema de *Súcia. No entanto, minha proéxis - a intransferível e exclusiva programação de vida somada a busca e significado existencial malograria se não procurasse outros conhecimentos diferentes da arte.
A constante pesquisa por conhecimento  traz inovados paradigmas para a vida e é justamente esta busca que nos impede de ficarmos velhos egocêntricos, gagás e alienados.
Pois é, não quero ser Súcia!
Rubens Prata
*Resumindo o dilema de Súcia: O Rabino Súcia, um santo homem, chorava sentidamente no seu leito de morte.
Os discípulos perguntaram: "Por que chorais, se fostes sempre tão piedoso? Porventura temes que o Senhor pergunte por que não fostes um Moisés?"
"Não", responde o rabino, "na verdade receio é que Ele me pergunte: "Súcia, por que não fostes Súcia?"
[Da tradição rabínica]