8.10.12

COISA FEIA DE AMIGO VIRTUAL


Não consigo ficar mesmo em cima do muro, me arrisco, tomo partido e tenho partido e se descobrir que errei, peço desculpas em público. Porém, por causa das eleições, o número de publicações a esse respeito nas redes sociais  prolifera insanamente, pois uma consciência mais apurada há de tomar cuidado em verificar se aquilo que compartilha tem compromisso com a verdade, a justiça o bem e o belo., se contribui para um mundo melhor.

Tomo cuidados, nem sempre perfeitos, mas tomo – como no caso do mensalão que considero da maior relevância, o qual nada compartilho e nada opino, pois não estou inteirado dos detalhes e quem nos diria a verdade, a grande mídia que há anos faz disso um espetáculo inconsequente?

Tenho ciência de esse ser o maior julgamento da história do Brasil, mas só o é porque não ocorreram outros como o do mensalão do PSDB, o da PRIVATARIA, do CACHOEIRA que graças a essa mesma mídia poderá não ocorrer, pois é evidente que estas organizações informativas, tomam partido, tem partido,escondem os fatos, são notavelmente parciais e manipulam descaradamente. Sim, elas têm e tiveram privilégios da direita e da elite por longo tempo, basta investigar as facilidades lhes auferidas até pela ditadura, do rabo preso com as privatizações as quais tiveram seu quinhão de benefícios e as verbas que lhe são  destinadas por prefeitos e governadores.

Bom, tenho indignação suficiente  para continuar a relatar sobre fatos como este, mas vamos ao assunto inspirador, dessa história – a coisa feia do amigo virtual.
Acontece que fulano não percebe a manipulação a qual estamos sujeitos, então dispara a compartilhar mensagens na rede social sem a menor averiguação, aumentando assim a insatisfação e a crença de que todo político é corrupto. Essa irresponsabilidade chega a atacar pejorativamente a própria pessoa focada e não as ideias, as realizações e, quando você esclarece o fato, lembra-lhe das manipulações, o fulano diz que não tem partido não gosta de política. Todos os políticos são corruptos e que é vivido suficientemente para não ser enganado.

Ora, se ele não acredita absolutamente em ninguém, por que publicar opiniões na rede social? Por que contribuir para um desserviço a humanidade, com a maledicência, a descrença no bem e  no próprio país? 

Mesmo quando não gosto do político, evito compartilhar fotos montadas com o balãozinho dizendo palavras que o desafeto não disse. Evito mesmo, postar imagens do congresso com notas torpes, pois seria um desrespeito ao valor de nossa democracia. Resumo-me a expor ideias, charges para mostrar minhas concordâncias e discordâncias sem achincalhar pessoa alguma. Acho que todos devem participar, mas com o cuidado de vigiar-se para ver se estão colaborando com um mundo melhor.
Rubens  Prata