1.8.11

A BELEZA ETERNA

Dizem que a beleza acaba com os anos.
No teu caso, a beleza cresce com o tempo,
Na serenidade dos teus atos distantes da agitação juvenil,
Na paciência infindável que a vida lhe ensinou,
No pedaço de mistura que sempre reserva para aquele que ainda não comeu,
Na coragem que tens ao brincar com os netos mesmo sem força,
No sorriso singelo que dispensas mesmo quando seu corpo doe,
No perdão irrestrito que dispensa a quem te fere,
No amor incondicional que dedicas a mim, apesar dos meus defeitos;
Na capacidade de não se chocar com nada, porque já passou por todas as vicissitudes da vida;
No jeito sincero que ainda me admiras.

Pois é, o tempo passou, mas o brilho no teu olhar ainda é o mesmo, o corpo continua de menina e seu rosto guarda os traços de uma criança que somado a sabedoria do tempo vivido, só te faz mais bela a cada dia.

R. Prata