26.5.11

O TEMPO É IMPLACÁVEL


Os anos vêm e vão
E eu aqui no ateliê,
A olhar a rua de fábricas.
Operários vão e vem,
Caminhoneiros,
Trazem soja e milho;
Laranjas levam.
Eu aqui a pensar no acontecido,
Como se fosse ontem
Aí me lembro, foi há anos!
Só o tempo passa,
E eu aqui, esperando a vida correr.
Meus pais já passaram,
Muitos amigos já se foram
E eu aqui, esperando meu neto crescer,
A envelhecer, envelhecer.
Parece que foi ontem,
Mas tudo já aconteceu.
E eu aqui, a querer, querer...
Querer viver,  viver...

Rubens Prata