21.5.11

A CORRUPÇÃO NOSSA DE CADA DIA

 Pasmem! Foi há poucos anos atrás, mas juro que ouvi.

O Seu José, funcionário da prefeitura há muito tempo, cargo vitalício como todos sabem, convidando o meu genro que na ocasião estava num emprego que pagava mal como já é de praxe nesta cidade.

Dizia ele com aquele linguajar assim, como diríamos? “Chique no úrtimu” das TVs e rádios do momento:

- “Óh cumpadre, vem trabaiá cu nóis lá na prefeitura, aí você fica só num sussu assim como ieu”. Meu genro respondeu:

- Ah, mas tem que fazer um concurso e demora muito para me chamarem.

- “Qui nada sô, você só precisa di fazê um testizinho, aí a gente fala cu vereadô Mané, qui cuida dessas coisa, que ele resorve e você entra num instantinho.”

Felizmente meu genro respondeu que ia ver e nunca foi atrás desta proposta.

Até hoje não sei se essa atitude do genro era porque eu estava por perto e ele sabia o que penso da corrupção. Mas o absurdo era que o tal funcionário estava junto com outros três empregados da prefeitura e todos conversavam sem nenhuma vergonha e com absoluta tranqüilidade sobre o assunto.

Pois é, alguém já disse: “Não haverá país nenhum como este!”

R. Prata

P.S. A história é verdadeira, só não coloquei os nomes certos porque não seria correto colocá-los usando a internet.