24.1.10

PARADOXOS

Nem sempre quem cala consente.
Às vezes, quem cala é complacente.
Nem toda vida é uma luta.
Nem toda mentira engana.
Nem toda verdade é absoluta.

Nem toda arma protege
Mas toda arma mata.
Nem todo fogo incendeia.
Mas tem aquele que:
Cozinha, aquece e clareia.

Nem toda estrela brilha
Nem toda luz ilumina.
Muita luz ofusca.
Nem todo pai ensina.

Nem todo vento é brisa.
Nem todo bravo é bruto.
Nem toda semente germina.
Nem toda árvore dá fruto.
Mas é certo:
Quem planta. Colhe.

Nem todo religioso é Cristão.
Nem todo cristão é bom.
Nem todo bom faz bem.
Nem todo mau faz mal.

Nem tudo que é doce é gostoso.
Nem todo que anda chega.
Nem toda relação traz gozo.
Nem toda mulher é meiga.

Nem tudo o que começa acaba.
Nem tudo que parece é.
Nem todo livro instrui.
Nem todo trabalho produz.

Nem todo que volta fica.
Nem toda música é boa.
Nem toda cobra pica.
Nenhuma vida é à-toa.

Nem todo solo é fértil.
Nem todo mundo é bem-vindo.
Nem todo monstro é feio.
Nem todo belo é lindo.

Nem todos é gente que faz.
Nem toda médica cura.
Nenhuma guerra traz paz.
Nem toda virgem é pura.

Eu falo tanto...
Não é todo mundo que me atura.
Nem tudo o dinheiro compra.
Nem todo loira é burra.

Eu, Rubens em 10-03-08