22.1.10

O FRENEZI DO SAMBA - (antigo)

Quando ouço um samba
O som me encanta
provo que sentimento vibra;
Vibra tanto - que me dá arrepios.
Os pelos do braço se ouriçam;
O cabelo - endurece;
minha alma canta.

quando ouço o samba cantado na avenida
Fico doido ! - Desligado !
Minha alma canta;
Canta tanto - que de nenhum mal, tenho lembrança.
Fico em simbiose - ligado,
ao som - que ao meu corpo balança.

Rubens Prata
Nota; fiz este poema a alguns anos atrás, só o coloquei junto com o anterior porque, de certa forma, combinam e um poderia ser parte do outro.