24.1.10

FILHOS BASTARDOS

FILHOS BASTARDOS

Seria bom...
Se todos os jovens pudessem dizer:
Eu tenho um pai.
Ele ensinou-me isto!
Ele disse-me faça assim!

Vai longe o tempo de quem se importava.
Em fazer-me um prato.
Em cuidar da casa.
Em contar-me um fato.

Todo mundo quer ter.
Ninguém mais quer ser.
Ninguém quer ser aquele que trabalhe,
que cuida, que agasalhe, que ensina.

Todo mundo quer ter:
Um lindo corpo,
um luxuoso carro,
um bom cargo.
Pois é!
Um belo filho até.
E daí!
Rubens Prata