22.1.10

A ESCOLA DE SAMBA

A ESCOLA DE SAMBA (1)

Tum duc, stunduc, stunduc, stunduc...

Lá vem a banda da Vila Martins.
O som embriaga a alma.
A razão não domina o instinto.
O corpo balança!
Todo mundo bate palma.
Ninguém resiste ao rítmo.
A gente dança!
Hoje na Terra, não tem pecado.
Todo mundo se solta. Sem pudor.
A banda traz o recado:
hoje, quero sambar no pé,
tomar café
em Avaré.

“Tum duc,
stunduc,
stunduc
stunduc...

Eu, Rubens
Natal de 2007