24.1.10

Conto: A CUÍCA

Conto: A CUÍCA
Numa agradável noite, no Jardim Brasil em Avaré, amigos fraternos conversavam,ouvindo boa música sob a luz da Lua e do fogo ardendo e salpicando as carnes do churrasco que prometia fazer prolongar ainda mais a conversa. De repente, os cães trocaram as ambicionadas gorduras que lhes atiravam por um espetáculo maior. Latiam tanto e em tão alto tom que o pessoal correu para ver o acontecido. Tratava-se de um animalzinho acuado agarrado aos mais altos ferros do portão.
Puderam observar o bichinho bem de pertinho por poucos instantes, antes que pulasse apavorado para rua sumindo em disparada.
O acontecido foi o ponto alto da conversa madrugada adentro.
Lá estavam pessoas apaixonadas pela natureza e cônscias de que deva haver atitudes rigorosas de toda a população a fim de preservar o ambiente, a fauna e a flora.
Sabiam que o homem estará fadado a destruição se não se decidir a proteger a vida.
Um aficionado observador de plantas e animais lembrou que já tinha visto este bicho numa revista e ia procurá-la para saber o que viram exatamente. O outro relembrou suas andanças pela cidade, nas quais se distraia olhando as árvores e aves da cidade.
--É pena! Avaré não tem uma turma de passeio como em SP, onde há vários grupos (pretendentes a ornitólogos) divertindo-se ao fotografar na rua e pesquisar, em bibliotecas, pássaros. Naquela cidade poluída e sem natureza já catalogaram mais de 170 espécies. Imagina o que não se descobriria em Avaré?
A conversa ia fundo sobre a inércia de todos, as ruas e rios emporcalhados, o assoreamento do Rio Novo, o córrego do Lageado, a enorme erosão perto da João Melão. Falaram de tudo, até da restauração e tombamento de alguns edifícios da cidade. Enfim, tudo é meio ambiente.
--Havendo vontade política, atitude dos cidadãos em ralhar com o desleixo dos “porcos” que a tudo sujam, e com a inaptidão dos administradores e representantes do povo, nossa cidadania estaria mais presente... – Acrescentava mais um.
Pois é, em julho, alguém na televisão dizia que o Brasil possuía 16% de toda a água aproveitável do mundo. Outro, uma representante de uma ONG americana, lembrava nossa missão ecológica e o maior número de espaços preservados. Falta muito a fazer. Mas, nunca é demais lembrar que o Brasil poderá ser o país do futuro se ações começarem a ser feitas imediatamente. Daqui a 20 anos, sabe-se, não haverá suficiente água no planeta e está aqui a possibilidade do bom futuro.
Que tal distrair-se atazanando a vida dos congressistas através da Internet? Dos vizinhos “porcos”?
Semanas depois o participante que prometera pesquisar o animal trouxe uma foto de Uma Cuíca retratada por Johann Naterer em Ipanema – SP dia 4/6/1819. Um outro, trouxe outra foto de um gambá brasileiro diferente daqueles que acostumamos ver na TV ou em revista. O mais interessante de tudo é que se tratava de um marsupial. Marsupial Brasileiro.
Afinal, decida o leitor: Cuíca ou gambá.

Rubens Prata – agosto de 2000

OBS: CUÍCA (Gracillinamus microtarsus).
Um GAMBÁ possui glândulas perto do anus que secretam um líquido mal cheiroso. É só uma forma de defesa quando é ameaçado. Em estado normal, seu cheiro é igual ao de qualquer outro animal.