24.1.10

CELEBRAR A VIDA

CELEBRAR A VIDA
Depois dos 60 , cada dia dever ser celebrado,
cada dia vivido se torna, com o passar do tempo, uma vitória.
As tarefas que antes reclamávamos por fazê-las, tornam-se um trabalho importante.
Muitas pessoas e coisas que antes eram tidas como importantes, perdem seu valor.
Estatus, riqueza, diplomas, títulos, beleza – só física - nada valem.
O dinheiro tem tão somente o valor para o qual foi criado.
A gente sabe melhor agora, os reais valores da existência.
Ter a liberdade de poder dizer o que pensa,
de poder chorar como criança, de rir, de abraçar, de se emocionar sem se importar com o que irão pensar de nós.
Ensinar o netinho a fazer xixi no piniquinho,
fazer uma boa comida
Arrumar a casa com carinho.
manter um jardim florido,
trazer responsabilidades aos netos.
Aprimorar a beleza interior,
a beleza do ambiente.
Manter as velhas amizades.
Identificar bondade nas pessoas boas e,
principalmente fazer novas amizades.
São vitórias a serem celebradas.
Minha esposa, com o passar dos anos,
como um bom vinho que quanto mais amadurecido, se torna cada vez melhor
só se tornou mais bela.
O amor transformou-se de instintivo em consciente.
Tudo é feito com mais alma.
Por isso, devemos celebrar a vida.
. “Com a idade e alguma clarividência vamos compreendendo que só o amor e a amizade fazem sentido”.

Rubens Prata
Dia 24/2/08 às 5,50 horas. Esta noite, não dormi, fiquei matutando os acontecimentos da vida – bons e maus. Entre eles o que mais sobressaiu foi o de que precisamos celebrar a vida.
Ontem celebramos as 52 primaveras da minha esposa. Foi bom, comi com gosto, a torta de frango que fora o bolo salgado de seu aniversário. Estavam em casa meu genro Sidnei, minhas filhas e netos.